Pousada No Caminho do Marimbondo – Visconde de Mauá


Eu e a Carla já estivemos nesta pousada duas vezes nos últimos anos, nas duas viagens que fizemos a Visconde de Mauá. Antes de falar da pousada, acho que é importante uma introdução a Visconde de Mauá: o local é um distrito da cidade de Resende/RJ e fica no alto da Serra da Mantiqueira, a 1200m de altitude, área de preservação ambiental. O distrito é composto por um conjunto de vilarejos interligados por estradas de terra, onde os principais são Mauá, Maringá e Maromba. As pousadas estão espalhadas em sua maioria por estas estradas de terra que interligam o distrito, todas com um aspecto de chácara. Os restaurantes e comércio se concentram nos vilarejos que mencionei. A região de Visconde de Mauá é muito bonita, especialmente para quem curte natureza, vales, rios e cachoeiras.

Voltando a pousada, ela se localiza no Vale do Pavão e leva este nome porque fica no caminho para o Poço do Rio Marimbondo (mas não se assustem, eu não vi nenhum marimbondo por lá).

A pousada possuí uma casa principal onde funciona o lobby  e servem o café-da-manhã (aliás muito bom, servido até meio-dia). Normalmente, entre outras gostosuras, é servido o Bolo Húngaro que é típico ali da região (vale a pena comprar no vilarejo de Maringá e levar para casa).

As acomodações são  compostas de chalés de diversos tipos e tamanhos, espalhados pelo terreno de 1500 m2 que forma a pousada. Os chalés são confortáveis, com lareiras e todas as comodidades de um hotel, mas sem grandes luxos.

Os jardins da pousada são muito bonitos, com uma piscina em espaço aberto e outra fechada e aquecida, juntamente com saunas seca e a vapor.

Apesar da região de Visconde de Mauá não ter grandes atrativos para crianças (além talvez das trilhas e ecoturismo), a pousada acomoda bem casais com filhos.

No geral, a pousada mostrou uma relação custo/benefício muito boa, o que nos fez voltar para uma segunda hospedagem.

Na primeira vez que fui a Visconde de Mauá eu levei minha Montain-Bike, o que foi muito legal. Apesar de ser uma região com muitos morros, era possível ir da pousada até os vilarejos de bike.

A região é fria e úmida, principalmente no inverno. Assim, cuidar da lareira do chalé era uma das minhas principais missões. Eu gosto muito de cuidar de lareiras, é uma excelente terapia anti-stress para mim. Acaba sendo um tipo de preocupação, mas totalmente diferente daquelas que tenho no dia-a-dia. Acho que cuidar do fogo resgata algo primitivo dentro da gente, o que é muito bom.

De resto, as hospedagens na “Pousada No Caminho do Marimbondo” foram muito boas para ler bons livros, fazer um pouco de exercício, comer e beber em bons restaurantes, e acompanhar a Carla numas comprinhas.

Saiba mais sobre a pousada em  www.marimbondo.com.br.

Anúncios

Sobre Heitor

Eu sou um prossional de vendas, casado, que tem como principais hobbies viajar e frequentar restaurantes. Quando dá para combinar as duas coisas, melhor ainda. A trabalho ou a passeio estou sempre aproveitando minhas viagens para conhecer novos lugares, restaurantes e culturas. Escrevo este blog para compartilhar um pouco de minhas memórias de viagem e também dos meus projetos futuros.
Esse post foi publicado em Brasil, Visconde de Mauá e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s